A EXPOSIÇÃO 

A presente exposição de Hugo Houayek traz, desde o seu título, a indicação de alguns dos materiais com os quais o artista tem experimentado nos últimos anos. Tratam-se de objetos tridimensionais desenvolvidos com cimento que são aqui postos em diálogo com peças bidimensionais onde o batom é um dos materiais escolhidos. A maneira como o artista usará o cimento, porém, não é sinônimo da exploração de formas geométricas e regulares; pelo contrário, a exploração da solidez desse material é feita com a ajuda de sacolas plásticas e outras superfícies maleáveis que contribuem com a forma estranha, orgânica e assimétrica desses objetos. Os tons berrantes de tinta aplicados posteriormente contribuem com essa antimonumentalidade de suas formas.

Esse desenvolvimento de obras em sequência com a finalidade de explorar um material e/ou variações cromáticas também está presente nas pinturas sobre papel que o artista tem desenvolvido com materiais como o batom e o esmalte para unhas. É nessa articulação de elementos – ou seja, ao usar materiais criados inicialmente para o corpo humano, mas agora explorando a linguagem pictórica – que a investigação de Houayek dá um salto peculiar. Trata-se de nos fazer lembrar de seu interesse pelo corpo humano não mais pela escala, mas pelo recorte conceitual dos materiais que utiliza. As superfícies para essas rápidas e pequenas pinceladas não serão mais a boca ou as unhas, mas recortes de papel em diferentes tamanhos. Formas geométricas, composições informais e até mesmo pequenos momentos de figuração surgem sobre esses papéis e por vezes, devido ao modo como foram aplicados, nos fazem esquecer de sua matéria originária.

Essas novas séries de trabalhos são prova da amplitude de interesses de Hugo Houayek e da maneira como é capaz de flutuar com certa liberdade entre diferentes matérias. São desafios para a sua pesquisa e desafiam quem escreve a estabelecer relações para além do lugar de reflexão mais óbvio – a história da pintura. Que venham outros desafios para ambos os lados. 

Raphael Fonseca

Curador

 

ABERTURA

1/20

A exposição Cimento Manchado de Batom, sob curadoria de Raphael Fonseca, teve sua abertura no dia 11 de outubro de 2018.

PATROCÍNIO

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:

SEGUNDA A SEXTA-FEIRA - 10h ÀS 19h

SÁBADO - 11h ÀS 15h

CONTATO@SIMONECADINELLI.COM | +55 21 3496-6821